sexta-feira, 1 de maio de 2015

Lenda a garrafinha


                                                                       Garrafinha

A garrafinha

Uma mãe perdera o filho pequenininho e, cheia de amargura e desespero, não cessava de pranteá-lo dia e noite. Vivia debulhada em lágrimas. Teve então um sonho em que lhe apareceu o fíhotinho amado, muito triste e aflito. Ela perguntou-lhe a razão daquela mágoa. – "Minha mãezinha, - respondeu a criança - porque não alcancei ainda entrar no reino da glória!..." – "Mas, como, meu filho, se és um anjo, puro, sem pecado?" — "Sim, mãezinha, devido às tuas contínuas e copiosas lágrimas..." "Eu te explico: Quando morre uma criança, ao chegar às portas da céu São Pedro entrega-lhe uma garrafinha para nela recolher as lágrimas de sua mãe: se estas forem tão abundantes que façam transvasar a garrafinha, não logrará gozar logo da bem aventurança eterna.

E é por isso que se aconselham às mães a se comedirem nas lágrimas aos filhos que morrem criancinhas.