sábado, 16 de março de 2013

Lenda olhos de fogo


Conta-se que numa cidade do interior da Bahia, por volta de 1947, um comerciante bem sucedido iria negociar algo com um “amigo”, que era muito invejoso. Este por sua vez, desejando apoderar-se dos negócios do comerciante, planejou matá-lo e para tanto contratou um pistoleiro, dizendo-lhe onde seria o encontro com o comerciante. Ordenou-lhe que chegasse antes e perguntasse à quem aparecesse no local se “tinha fogo”. A pessoa que lhe oferecesse o isqueiro de ouro com um cavalo de prata deveria ser a assassinada (o traidor sabia que esse era o isqueiro do comerciante ). Pois foi isso que o pistoleiro fez e ao reconhecer o isqueiro deu dois tiros no comerciante. Antes de morrer porém, o comerciante jurou vingança e para tanto se transformou num demônio, ser sobrenatural, espírito maligno ou algo do gênero. Tempos depois na cidade, houveram várias mortes e vários desaparecimentos. Dizem que um homem sempre com um chapéu negro aborda os passantes tarde da noite, perguntando se a vítima tem fogo! Aqueles que respondem que sim, o homem revela-se, levantando o rosto! De seus olhos saem fogo. Seus dentes são todos cerrados e suas unhas parecem garras. Ele dilacera as pessoas, vários corpos foram encontrados mutilados tamanha a força dos golpes. Dizem que até hoje ele vagueia pelas cidades do interior baiano! portanto muito cuidado ao atenderem o pedido de algum fumante desconhecido.”
Lendas urbanas, mitos urbanos ou lendas contemporâneas são pequenas histórias de caráter fabuloso ou sensacionalista, amplamente divulgadas de forma oral, por e-mails ou pela imprensa e que constituem um tipo de folclore moderno. São frequentemente narradas como sendo fatos acontecidos a um “amigo de um amigo” ou de conhecimento público.